Menu fechado

Alca e Mercosul

 

Atualidades: ALCA E MERCOSUL: O DILEMA AMERICANO

Em 1991, Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai assinaram o Tratado de Assunção, que criou o Mercosul, um bloco econômico do sul da América Latina. Quatro anos depois, instalou-se uma área de livre comércio que isentava de tarifas 90% das mercadorias fabricadas pelos países-membros. Além disso, boa parte das importações de produtos de nações de fora do bloco seriam definidas por tarifas externas comuns. O comércio quintuplicou de 1990 a 1998, um desempenho recorde no continente.

Com a desvalorização do real, em 1999, o acordo comercial entrou em crise. A Argentina ergueu barreiras comerciais temendo uma invasão de produtos brasileiros. O comércio regional regrediu.

Com a estagnação do Mercosul, os EUA aumentaram a pressão pela criação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). Com um déficit na balança comercial de 450 bilhões de dólares, os norte-americanos têm o maior interesse na formação desse megabloco econômico. Na prática, a criação da Alca significa abortar os projetos de expansão do Mercosul, que seria “engolido” por esse novo bloco. O Brasil é o país que mais se opõe à formação da Alca, já que seu comércio é bem distribuído por todas as regiões do mundo. Não haveria razão para privilegiar o comércio com apenas um bloco econômico, em detrimento dos demais.

Veja alguns números

O Mercosul reúne uma população de 226,2 milhões de habitantes

Os EUA são o país que mais exporta no mundo: 730.803 milhões de dólares por ano

Outros aspectos da questão

Comércio exterior e protecionismo

A hegemonia mundial norte-americana

Redução do comércio da América Latina com países fora da área da Alca

Autor: supervestibular.com

Veja também: