Menu fechado

EAD cresce na crise

Investimentos
em educação tendem a crescer em épocas de crise


Ensino a Distância se
destaca pelo valor das mensalidades

 


Em outubro, segundo a Casa
Civil, a taxa de desemprego no Brasil ficou em 7,5%, a menor do ano, mas o
desaquecimento da economia, provocado pela crise financeira global, já está
mudando este cenário. Em épocas de instabilidade as exigências sobre o
colaborador crescem ainda mais e quem não está preparado pode encontrar
dificuldades. São em momentos como este que outra metodologia de qualificação se
destaca e ganha ainda mais força: o Ensino a Distância, que consegue suprir a
necessidade de especialização a custo acessível, chegando a ser até 50% mais
barato do que os cursos tradicionais.


 


Dados do
setor:


 


Segundo a

Secretaria de Educação a Distância

do Ministério da Educação (MEC), atualmente, o Ensino a Distância seja
responsável pela formação de mais de 100 mil alunos. Até 2019 a estimativa é que
sejam 350 mil alunos matriculados em cursos de EAD.


Os alunos que cursam o Ensino a Distância costumam ter a idade média de 30 anos,
ganham até 3 salários mínimos e a maioria estudou em escola pública.


 


Fonte
para entrevista:


 


Ex-Ministro da Educação e
Diretor de Grupo educacional que investe em tecnologia para o Ensino a Distância
(IESDE): Carlos Alberto Chiarelli (Possui dados do setor, crescimento e
investimentos em prol da Educação a Distância. O grupo acaba de lançar uma
ferramenta inovadora para este método: aulas em MP4 que permite ao aluno
assistir as aulas em qualquer lugar)


 


Instituições de ensino que
possui cursos a distância: Universidade Castelo Branco – UCB e Universidade
Cidade de São Paulo – Unicid  (Elas possuem pólos em todo o Brasil e possuem
alunos matriculados em diversos cursos desta modalidade. Podem falar como
instituição chanceladora e sugerir alunos matriculados na modalidade para fonte)


 


As exigências sobre o mercado de trabalho
crescem ainda mais em épocas de crise. Com um número menor de oferta de empregos
e com o anúncio de demissões nos mais diversos setores do Brasil, o ideal é
investir ainda mais na educação. Segundo Carlos Alberto Chiarelli, ex-Ministro
da Educação e Diretor de Ensino a Distância (EAD) do IESDE (Inteligência
Educacional e Sistemas de Ensino), a procura pelo Ensino a Distância deve
aumentar ainda mais neste momento, pois ele consegue suprir a necessidade de
formação a um custo acessível, chegando a ser até 50% mais barato do que os
cursos presenciais tradicionais, com idêntica validade legal.


 


Conforme o Ministério da Educação (MEC), uma
mensalidade de um curso presencial de graduação, como Administração ou
Pedagogia, custa aproximadamente R$ 600. Já o mesmo curso por metodologia EAD
tem uma mensalidade de, em média, R$ 200. “Por isso, a preferência por este
método deve crescer ainda mais, já que só 11% da expressiva população da chamada
classe C, no Brasil, freqüenta faculdades. Além disso, para não perder o
emprego, muitas pessoas vão procurar uma qualificação melhor com um valor que
esteja de acordo com a realidade em que vive”, diz.


 


O Diretor explica que tanto nos
cursos convencionais, como na modalidade a distância, os critérios de qualidade
no ensino superior são iguais.

Chiarelli comenta que a grande diferença do
EAD é a acessibilidade à
educação, já que 70% dos municípios brasileiros não têm universidade. “Desta
maneira é possível aumentar o acesso a estudos destinados a camadas da população
que não têm esta oportunidade, seja por ter que optar somente pelo trabalho ou
por morar longe dos centros urbanos”, enfatiza. E acrescenta “Investindo em
educação a população está contribuindo para um melhor desenvolvimento do país,
que terá uma população mais preparada para enfrentar os mais diversos riscos que
envolvem uma Nação”.


 


 


Perfil IESDE Brasil


Criado em 1999, o IESDE (Inteligência
Educacional e Sistemas de Ensino) é uma empresa que já produziu material
didático para mais de 300 mil alunos de instituições de ensino de todos os
níveis educacionais do Brasil. Para as escolas de ensino fundamental e médio, o
IESDE comercializa o SAE – Sistema de Apoio ao Ensino. Para o ensino superior,
por meio de contratos com universidades, oferece metodologia, sistema de suporte
e material didático, que são aplicados em vários cursos de graduação e
pós-graduação, em pólos de educação das universidades em todo território
nacional. Também oferece metodologia e materiais para organizações e
instituições em geral. A empresa conta com mais de 600 colaboradores diretos e a
matriz é em Curitiba / PR. Mais informações no site

www.iesde.com.br
.

Veja também: