Menu fechado

Arquitetura

As tendências no momento e as áreas que mais crescem na profissão são arquitetura de interiores e desenho urbano. Outro campo em expansão é o de preservação do patrimônio histórico. Para se dar bem profissionalmente, o arquiteto tem de estar atento às novidades. Saber lidar com computadores, plugar-se à Internet e conhecer bons programas são algumas exigências atuais. Também é preciso ser versátil. Há cada vez mais arquitetos deixando as pranchetas de lado e concentrando-se em design de móveis ou programação visual. Um dos ramos que mais crescem é o de decoração, que se tornou um mercado em ebulição, estimulado por nomes de sucesso. No geral, a profissão tem boas perspectivas, o que pode ser confirmado pelos números do Instituto dos Arquitetos do Brasil. Há trinta anos, calculava-se que apenas 5% das construções brasileiras tinham por trás um arquiteto. Hoje, eles estão assinando por volta de 40% das obras. Por outro lado, cada vez mais a arquitetura é funcional, não podendo ser confundida com arte, deve trabalhar com espaços exíguos e materiais baratos. A preocupação não é apenas a bela sala, mas onde se possa almoçar sem, a cada garfada, bater o braço na parede. A história da arquitetura é também a história da técnica e nada deve ser feito aleatoriamente, além do arquiteto gostar de desenhar espaços ousados. Lida com questões do espaço, em diferentes escalas com a intenção de ordena-los plasticamente. A arquitetura por ser abrangente, abrindo um leque nas áreas de paisagismo, história, tecnologia, planejamento, programação visual e desenho industrial.

Dicas: Os Profissionais tarimbados avisam: quem tem planos de ser arquiteto precisa preocupar-se com a carreira o mais cedo possível. Paralelamente à formação teórica, o aspirante deve procurar colocação num bom escritório. Em troca de um salário simbólico, pois todo começo é duro, mas dizem que o importante é respirar arquitetura. Com o tempo, o estagiário vira desenhista e passa a detalhar os projetos feitos pelos arquitetos mais experientes. Depois de já formado, pode realizar seus próprios projetos. Como o currículo de um arquiteto é sua obra, é importante que ele tenha passado por escritórios respeitados, onde aprende a desenvolver o seu próprio traço, diferente dos demais. O grande aprendizado está no exercício profissional que inicia-se apontando muito lápis e limpando muito a prancheta até assinar seu primeiro projeto.

Veja também: