Menu fechado

Biologia

Dos 3.000 biólogos que se formam todos os anos, dois terços continuam na escola, onde viram professores ou pesquisadores. Quem não se imagina feliz numa sala de aula costuma trabalhar em laboratórios de análises clínicas ou na industria farmacêutica. Mas a profissão começa a encontrar novas oportunidades na consultoria ambiental a indústrias. Desde 1986, o governo exige que toda construção ou ampliação de grandes obras, como fábricas e estradas, apresente um relatório de impacto ambiental, o Rima. Nele, avalia-se o que deve ser feito para evitar ou atenuar os efeitos da obra sobre o ecossistema da região. Em 1991, o BNDES investiu 200 milhões de reais em gerenciamento ambiental nas indústrias brasileiras. O Conselho Federal de Biologia, calcula que atualmente existam mais de 1.000 empresas de consultoria de projetos em meio ambiente. Juntas faturam algo em torno de 300 milhões de reais por ano. Há uma década, elas não passavam de 300. Claro que essas empresas não contratam apenas biólogos, mas eles são imprescindíveis. O Biólogo pode ser mestre em instituições de ensino e ao mesmo tempo participar de escritório especializado em projetos ambientais, que pode por exemplo elaborar um relatório de impacto ambiental de uma estrada. A maioria dos biólogos está concentrada na pesquisa acadêmica. Mas, como a legislação só autoriza o funcionamento de empresa após o relatório de impacto ambiental, os biólogos ganharam boa área de trabalho.

Dicas: Esse profissional tem sido muito valorizado, encontrando oportunidades de trabalho em institutos de pesquisas públicas e privadas, Jardins botânicos, centros de pesquisas agrícolas, pecuária e de saúde, parques, reservas ecológicas, etc. Um bom negócio para a natureza é a atual tendência. Em tempos de internacionalização, globalização e ecologicamente correto, muitas empresas correm atrás do certificado ISO 14.000, espécie de prêmio para os mais zelosos do meio ambiente. É o biólogo quem orienta as fábricas sobre como evitar que o aumento da produção cause danos à natureza. Poucas empresas e industrias brasileiras foram certificadas. Uma das primeiras a receber o certificado foi a gaúcha Petroflex, que exporta borracha sintética. Com o certificado reconhecido mundialmente as vendas aumentam. Além disso, ao controlar os efluentes líquidos de sua fábrica, a Petroflex reduziu seus gastos consideravelmente nos últimos anos. Enfim, é bom para todo mundo. Para os empresários, que economizam gastos e vendem mais. Para os biólogos, que expandem seu campo de atuação.

Veja também: