Menu fechado

Economia

O mercado financeiro absorve parte dos graduados. Há executivos extremamente bem remunerados e com carreiras muito bem sucedidas, mas o espaço a ser ocupado é restrito e igualmente dividido com engenheiros, pois um bom raciocínio matemático é primordial. É um mercado regionalmente concentrado, em que a maior parte das oportunidades está em São Paulo e, em menor medida, no Rio de Janeiro. Muitos bancos oferecem bons programas de trainee para recém-graduados, com vagas disputadíssimas por serem reconhecidas portas de entrada para boas carreiras. Empresas de consultoria também contratam e costumam ser vistas como trampolim para bancos, já que oferecem carreiras menos atrativas.

A maioria dos graduados está em postos menos promissores dos bancos, em áreas financeiras das empresas, em consultorias, no setor público, nas universidades e institutos de pesquisa. Em muitos casos a formação genérica do economista é apenas o primeiro passo para o desempenho de sua atividade, frequentemente requerendo aperfeiçoamentos em contabilidade, direito, informática, etc.

Dicas: Operações na Bovespa e BM&F, derivativos, gerência de portfólio, lançamentos de títulos, marketing, fusões e aquisições, etc são algumas das áreas de atuação das instituições financeiras e é desejável que o estudante leia sobre estes assuntos, mesmo que ausentes do currículo da graduação, para identificar áreas de interesse e aumentar suas chances de conseguir boas vagas. Estude macroeconomia, contabilidade e análise financeira, acompanhe o debate econômico e a conjuntura nacional e internacional. Fique atento a bons estágios na área. Invista em conhecimentos e experiências que possam diferenciá-lo na disputa por oportunidades; não perca tempo com trabalhos alheios ao mercado. Bons conhecimento de inglês e informática são essenciais, quase pré-requisitos.

Veja também: