Menu fechado

Engenharia

A engenharia é a carreira campeã de versatilidade, pois de faz presente em todos os campos. Por esse motivo a área e atuação é muito ampla. Entre as especializações, as mais concorridas são engenharia civil, elétrica, eletrônica, computação, química e mecânica. Foi-se o tempo em que o engenheiro era o “tocador de obras”. O conhecimento técnico continua a ser fundamental, mas hoje se exige do engenheiro civil a habilitação para dirigir e movimentar milhares ou milhões de dólares, empregando centenas de pessoas, além de contratar uma dúzia de empresas de serviços diferentes. O Engenheiro tem de entender tudo a respeito de qualidade e de produtividade, pois o aperfeiçoamento pode lhe render bons frutos. A engenharia civil está empregando mais na área de saneamento, hidráulica ou transportes. O Setor químico produziu uma derivação, a engenharia de alimentos, que compreende a produção e a conservação de alimentos industrializados. Engenheiros elétricos, por sua vez, dispõem de uma opção em alta no mercado: engenharia de telecomunicações. Já a mecânica fundida à eletrônica gerou um híbrido muito disputado pelos alunos – a mecatrônica, que cuida dos processos de automação em industrias. A engenharia de produção, tão cortejada na área financeira, é uma ramificação da mecânica. Embora tenha uma imagem associada à construção civil, a engenharia é sem dúvida, a carreira mais versátil de todas.

Dicas: Só se preocupe com especialização depois de ingressar na faculdade, mas continua em alta a engenharia de produção, especialidade cortejada por bancos e financeiras. Recomenda-se conhecer o máximo possível das minúcias das carreiras pelas quais tem curiosidade. Um exemplo: é comum ficar em dúvida entre administração de empresas e engenharia de produção, já que as duas ocupações cumprem praticamente o mesmo papel. Num mercado de mutação veloz, como o de agora, as fronteiras entre as profissões tornam-se cama vez mais tênues. Antes de mais nada deve-se analisar o currículo dos dois cursos. Quem detesta física, química ou mecânica, deve fugir das escolas de engenharia. Quem abomina filosofia, sociologia e psicologia deve esquecer administração.

Veja também: