Menu fechado

Obras e características de Jorge Amado

JORGE AMADO

Obras:

Rixas e amores: Marinheiros, Mar Morto, Jubiabá, Capitães de Areia.

Pregação partidária: Saara Vermelha, Subterrâneos da Liberdade, O Cavaleiro da Esperança, O Mundo da Paz.

Luta entre coronéis e exportadores: Terras do Sem fim, São Jorge dos Ilhéus.

Crônicas de Costume provincianos: Gabriela, Cravo e Canela, Os Pastores da Noite, Dona Flor e Seus Dois Maridos, Tenda dos Milagres, Tieta do Agreste.

Contos: Velhos Marinheiros

Características:

Apreciação: Caráter seco, participante e líricos, descreve a miséria e opressão do trabalhador rural, romance proletário, região cacaueira da Bahia, ambiente urbano, descuido formal. Tom ameno e humorístico, urbano, a partir de Gabriela, melhor cuidado formal.

Ficção regionalista: (Jorge Amado)

Na obra pode se distinguir:

“Romance Proletário” : Cacau (1933), Suor (1934) – a vida baiana, rural e citadina.

“Depoimentos Líricos” : i. é, sentimentais, espraiados em torno de rixas e amores marinheiros: Jubiabá (1935). Mar Morto (1936), Capitães de Areia (1937).

“Escritos de pregação partidária” : O Cavaleiro da Esperança (1942, edição argentina; 1945, edição brasileira), O Mundo da Paz (1951).

“Afrescos da região do Cacau” : as lutas entre coronéis e exportadores: Terras do Sem Fim (1942), São Jorge de Ilhéus (1944).

“Crônicas amaneiradas de costumes provincianos” : Gabriela, Cravo e Canela (1958), Dona Flor e Seus dois Maridos (1967).

São mais recentes, nessa linha, formam uma obra à parte as novelas reunidas em Os Velhos Marinheiros (1961).

Jubiabá : (romance de tensão mínima: há conflito, mas este configura-se em termos de oposição verbal, sentimental quando muito: as personagens não se destacam visceralmente da estrutura e da paisagem que as condicionam).

Veja também: