Menu fechado

Origem e expansão do islanismo

O fundamental neste tema é mostrar os efeitos da expansão do Islão sobre o Ocidente durante a Idade Média. As consequências do fechamento do Mediterrâneo entre os séculos VII e XI e da abertura a partir do século XI.

Distinguimos os seguintes temas básicos:

a) A Arábia Pré-Islâmica: Arábia do Deserto e Arábia do Litoral: beduínos. Gênero da Vida: Óassis, nomadismo, razziasbotin, poligamia, politeísmo e peregrinações à Meca. No Litoral Meca e Yatreb eram cidades rivais, disputavam o comércio árabes do deserto. Meca era preferida pelos centros religiosos: Kaaba, Pedra Negra, Vale da Mina, Monte Arafat e Zem-Zem. A tribo Coraischita dominava o comércio da cidade. Maomé pertencia a uma família pobre, Haschemita.

b) Maomé e Islamismo. Casou-se com Khadidja. Teve visões do Anjo Gabriel. Sofreu a oposição coraischita. Fugiu para Meca (Héjira). Voltou a Meca e implantou o Islão ( o mundo dos submissos pelo coração a Allah).

c) A conquista do mediterrâneo pelos Khalifas. Os Haschemitas conquistaram o Oriente Próximo. Os Omíadas fizeram a conquista do Ocidente, invadindo a Península Ibérica, sul da Gália e Ilhas do Tirreno.

d) O fechamento do Mediterrâneo isola a Europa. O comércio tende a desaparecer. Somem os comerciantes, cidades, moedas, economia de mercado. A Europa tende para a economia rural de consumo e natural. Acentua-se a tendência à formação do feudalismo.

e) A partir do século XI começa a contra-ofensiva cristã. São as cruzadas. Abrem o mediterrâneo em direção a Jerusalém. Reativa-se o comércio entre o Oriente e o Ocidente, renascem as cidades e comerciantes, reaparecem as moedas. A economia de mercado faz germinar o pré-capitalismo e cria condições para o processo de desintegração do feudalismo.

Veja também: