Menu fechado

Período Regencial

O Brasil durante décadas, esteve perto de uma fragmentação. Os grupos políticos como: moderados, restauradores e exaltados tentavam controlar os rumos da política nacional que estavam todos ligados às elites proprietárias.

Como Pedro de Alcântara tinha cinco anos, a constituição determinava que se elegesse uma regência trina. A primeira regência foi provisória:

· Expulsão dos estrangeiros do exército;
· Anistia aos presos políticos;
· Volta do ministério político;

Daí surge a regência trina permanente:

· No qual Feijó criou a guarda nacional composta por membros da elite rural para conter rebeliões;
· Ato Adicional à constituição convertendo a regência trina em regência uma, eleita por sufrágio direto e com mandato de quatro anos.

Revoltas

A Cabanagem: Os paraenses lutavam por autonomia política, a elite local contava com o apoio das massas populares cada vez mais na miséria. A revolta foi reprimida violentamente. Caráter Popular.

A Sabinada: aconteceu em Salvador, a razão da revolta foram: a insatisfação política, desejo de autonomia. Caráter Classe Média.

A Balaiada: aconteceu no Maranhão, contou com grande apoio popular, lutavam contra a miséria, a revolta foi controlada.

A Farroupilha: aconteceu no extremo sul do país, a elite lutava contra a centralização do poder e criticava o governo por facilitar as importações a preços baixos. Com a antecipação da maioridade de D. Pedro II o governo anistiou os revoltosos.

Veja também: