Menu fechado

Eu – Augusto dos Anjos

Eu – Augusto dos Anjos

Única obra de Augusto dos Anjos, reúne sua obra poética.

De linguagem cientificista (a minha edição tem “só” 373 notas de fim), o poeta mostra uma obsessão com a morte simultânea a sua aversão a ela.

Fala de si mesmo, da doença que o vitimou (tuberculose), da humanidade, dos sentimentos, do banal; tudo pessimismo, linguagem e técnica impecável.

O vocabulário e as imagens poéticas, que incluem expressões como “escarra esta boca que te beija”, levaram os críticos da época a considerá-lo um poeta de mau gosto; não é verdade.

Augusto dos Anjos em Eu demonstra uma visão de mundo como a de que não se manifesta do mesmo modo sutil, mas é igualmente poderosa.

Parnasiano na forma e simbolista nas imagens, Augusto dos Anjos é um pré-modernista e mostra nesta obra por seu estilo único e inconfundível.

Veja também: